O machado e as árvores (Esopo)

Um homem foi à floresta e pediu às árvores que estas lhe doassem um cabo para o seu machado. O conselho das árvores concordou com o seu pedido e deu a ele uma jovem árvore para este fim.
Logo que o homem colocou o novo cabo no machado, começou furiosamente a usá-lo e em pouco tempo havia derrubado com seus potentes golpes as maiores e mais nobres árvores da floresta.
Um velho Carvalho lamenta quando a destruição dos seus companheiros já está bem adiantada e diz a um Cedro seu vizinho:
– O primeiro passo significou a perdição de todas nós. Tivéssemos respeitado os direitos daquela jovem árvore, ainda teríamos os nossos próprios e o direito de ficarmos de pé por muitos anos.

Moral da História: Quem menospreza ou discrima seu semelhante não deve se surpreender se um dia lhe fizerem a mesma coisa.

voltar


%d blogueiros gostam disto: